2019-06-21T194257Z_1_LYNXNPEF5K1TK_RTROPTP_4_USA-CANADA

Postado em 21 de junho de 2019, por Alexandre Melo.

Trump diz ter abortado ataque ao Irã para poupar vidaso

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (21) que abortou um ataque militar contra o Irã porque poderia ter matado 150 pessoas e que esta seria uma reação desproporcional ao fato de Teerã ter abatido um drone de vigilância dos EUA.

Trump disse que o plano era atingir três locais em resposta à derrubada do drone na quinta-feira. Teerã diz que a ação ocorreu sobre seu território e Washington alega ter acontecido no espaço aéreo internacional sobre o Estreito de Hormuz.

O incidente com o drone agravou os temores globais de um confronto militar direto entre os inimigos de longa data, e os preços do petróleo subiram nesta sexta-feira devido às apreensões a respeito de possíveis transtornos nas exportações de petróleo do Golfo.

Em uma série de tuítes matutinos, Trump disse não ter pressa de lançar um ataque e que as sanções econômicas norte-americanas, concebidas para forçar o Irã a conter suas atividades nuclear e de mísseis e seu envolvimento em guerras regionais, estão surtindo efeito.

Ele ainda disse que os EUA impuseram sanções adicionais ao Irã na noite de quinta-feira, na esteira da destruição do drone Global Hawk, causada por um míssil terra-ar, mas não ficou claro de imediato quais seriam essas penalidades.

“Dez minutos antes do ataque eu o parei, não é proporcional à derrubada de um drone não-tripulado. Não estou com pressa, nossas forças militares estão recompostas, novas e prontas para agir, de longe as melhores do mundo”, tuitou Trump.

O assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e a diretora da CIA, Gina Haspel, além do restante da equipe de Trump, foram a favor de um ataque retaliatório, disse uma autoridade sênior do governo Trump.

Mais cedo nesta sexta, autoridades iranianas disseram à Reuters que Teerã recebeu uma mensagem de Trump alertando que um ataque norte-americano ao Irã era iminente, mas dizendo que ele não quer uma guerra, e sim discutir uma série de assuntos.

A notícia sobre a mensagem, entregue via Omã de madrugada, veio pouco depois de o jornal New York Times dizer que Trump cancelou ataques visando radares e baterias de mísseis iranianas na última hora.

“Em sua mensagem, Trump disse que é contra qualquer guerra com o Irã e que quer conversar com Teerã sobre vários assuntos”, disse uma das autoridades à Reuters, pedindo anonimato.

“Ele deu um período de tempo curto para receber nossa resposta, mas a resposta imediata do Irã foi que cabe ao líder supremo (aiatolá Ali) Khamenei decidir sobre esta questão”, acrescentou a fonte.

Washington também solicitou uma reunião a portas fechadas do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) na segunda-feira sobre o Irã.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*