Templates by BIGtheme NET
201807161555_76438045ef

Postado em 16 de julho de 2018, por Alexandre Melo.

SINDPOL SAI EM DEFESA DE POLICIAL E PEDE REVOGAÇÃO DA PRISÃO.

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) saiu em defesa do policial civil Gilberto Ferreira dos Santos, que teve a prisão preventiva decretada por tentativa de homicídio contra o vereador Edivaldo de Souza dos Santos. O caso ocorreu em Teotônio Vilela, em outubro do ano passado. O desentendimento entre os dois tem como origem a compra de um imóvel em Coruripe, município do litoral Sul do estado.

A defesa de Gilberto Ferreira vai solicitar a revogação da prisão preventiva à Justiça – que, segundo o advogado da entidade, foi induzida ao erro pela investigação policial. “Vamos pedir a revogação da prisão e a absolvição sumária dele”, declarou, nesta segunda-feira (16), o advogado Welton Roberto.

“A prisão preventiva é absurda. Inclusive, não há sequer comprovação de tentativa de homicídio. Isso se deu através de um problema que houve entre o vereador e ele (policial). Porém, ambos fizeram um acordo em janeiro. Portanto, temos mais um caso sem uma investigação apurada”, afirmou Welton Roberto.

“O vereador foi enganado por uma estelionatária que saiu vendendo terrenos em Coruripe. Mais uma vez, a polícia investiga uma situação pela metade. Quem quer que tenha atirado em direção à casa do vereador não cometeu tentativa de homicídio porque os tiros foram em direção à residência, e o policial não tinha interesse nenhum neste fato”, emendou o advogado.

Em sua decisão, proferida no último dia 09, a juíza Renata Malafaia Vianna afirma que o policial “fez uso de sua função para ameaçar e amedrontar a vítima, conforme relatado por ela em suas declarações”.

De acordo com a investigação, a vítima entrou em atrito com Gilberto porque este afirmava ser o verdadeiro proprietário de um terreno na região de Lagoa do Pau. O policial civil – que atua como chefe de serviço da delegacia de Coruripe – está recolhido no 2º Distrito Policial (DP).

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*