Templates by BIGtheme NET
268642_ext_arquivo

Postado em 28 de julho de 2017, por Alexandre Melo.

Francisco Tenório articula derrubada de veto a reajuste salarial do governador

O deputado e vice-presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), Francisco Tenório (PMN) garantiu que vai trabalhar para angariar votos e derrubar o possível veto do governador Renan Filho (PMDB) ao reajuste salarial aprovado no Plenário na última semana, para ele e para o vice-governador Luciano Barbosa (PMDB).

O Projeto de Lei que é de autoria da Mesa Diretora tem como finalidade corrigir a reposição salarial dos delegados de polícia, fiscais de renda e coronéis da Polícia Militar de Alagoas sem ferir o teto do Executivo.

Ele reajusta os salários do governador Renan Filho e do vice-governador Luciano Barbosa (PMDB) em 6,29% foi aprovado no último dia 20. Mas, de acordo com o governador, em recente entrevista à imprensa, a crise financeira que o país ainda enfrenta seria um dos motivos para sua decisão de vetar o reajuste.

À Tribuna Independente, o deputado Francisco Tenório disse ter conversado com o governador sobre o assunto, mas que a justificativa dada pelo chefe do Executivo não seria válida. Para o parlamentar,  Alagoas vive um momento financeiro diferenciado de outros estados, podendo sim sancionar esse projeto de lei.

“Eu conversei com o governador, mas ele justificou que não se sente a vontade no momento para dar aumento no próprio salário quando há uma crise nacional pesada e que tem estados que não está pagando sequer os funcionários em dia e tem dificuldade que aceite o seu próprio aumento. Mas para mim não justifica, para mim o estado hoje é superavitário. Está numa situação diferenciada”.

O parlamentar reconhece que tem estados que estão em dificuldades, mas reafirma que Alagoas está bem financeiramente. Ele ainda acrescenta que a Assembleia vem contribuindo para esse momento está acontecendo. “A ALE tem contribuído para o momento financeiro que Alagoas vive. Então não pode sobre o pretexto de não aumentar o salário do governador, prejudicar as categorias”, ressaltou.

Delegados aguardam por reajuste salarial

Para o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Alagoas (Adepol), Robervaldo Davino, a lei que cria o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) determina que o aumento seja para todo o funcionário público, incluindo o Poder Executivo, respectivamente o governador e vice.

“No momento que o governador não aumenta o seu próprio salário alguns integrantes da categoria deixam de ser contemplados. Não deve se falar em aumento. É reposição de perdas. Esse valor que está sendo aplicado de 6.29% é uma reposição no salário dos funcionários públicos e entre eles está o do governador e do vice” salientou.

O presidente da Adepol ressaltou que a categoria é contra o veto e que deve se reunir com os deputados para saber qual será o próximo passo.

Ainda sobre o tema, Francisco Tenório afirmou ainda que o próximo passo é trabalhar para conseguir regimentalmente derrubar o veto do governador no Plenário. “Vou trabalhar no sentido de angariar votos na Assembleia para derrubar o veto do governador. Derrubando o veto o projeto é válido. Já estou conversando com os deputados no sentido de regimentar a maioria para derrubar o veto”, acrescentou o parlamentar.

No dia da aprovação do PL na Assembleia, os deputados Rodrigo Cunha (PSDB) e Bruno Toledo (Pros), chegaram a sugerir que o governador congelasse o seu reajuste, concedendo apenas para as categorias que estavam com seus vencimentos defasados. Tenório disse que falou sobre a possibilidade com Renan Filho, mas que não houve consenso.

COM TRIBUNAHOJE

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*