Templates by BIGtheme NET

Postado em 28 de março de 2017, por Alexandre Melo.

Análise ou análize? Veja 10 erros comuns da língua portuguesa

Para auxiliar quem prestará o Enem , a rede ibero-americana de colaboração universitária, Universia Brasil, divulgou um guia com os 10 erros de ortografia mais comuns nas redações de língua portuguesa.

De acordo com a instituição, embora a língua seja a quinta mais falada no mundo, ainda existem dúvidas na hora de escrever uma redação ou pronunciar alguma palavra. Entre os erros apontados está a grafia de palavras e o uso do ç, s, ss e z.

Os erros foram agrupados pelo escritor Eduardo Martins em seu livro Os 300 Erros mais Comuns da Língua Portuguesa , da Editora Laselva.

1 – “Estava paralizado de medo”
O s entre duas vogais nos substantivos também está presente no verbo.
O correto é: Estava paralisado de medo. (de paralisia)
Outros exemplos:
Vamos analisar os resultados. (de análise)
Carro com catalisador polui menos. (de catálise)
A moda agora é alisar os cabelos. (de liso)

2 – “Relacione todas as excessões”
É comum confundir a grafia do s, ss e ç
O correto é: Relacione todas as exceções.
Veja outros exemplos de grafias erradas e a forma correta de escrever:
“Advinhar” (correto: adivinhar)
“Ascenção” (correto: ascensão)
“benvindo” (correto: bem-vindo)
“cincoenta” (correto: cinquenta)
“pixar” (correto: pichar)
“xuxu” (correto: chuchu)
“zuar” (correto: zoar)

3 – “A moça não sai do cabelereiro”
Palavra deriva de cabeleira
O correto é: A moça não sai do cabeleireiro. (de cabeleira)
Outros exemplos:
Era um encontro “prazeiroso” (correto: prazeroso)
Atenção, vamos “manerar” (correto: maneirar)

4- “Eram casas germinadas”
Lembre-se de gêmeos
O correto é: Eram casas geminadas. (sem r)
Evite acrescentar letras inexistentes às palavras:
Asterisco (e não “asterístico”)
Beneficência (e não “beneficiente”)
Beneficente (e não “beneficiente”)
Bugiganga (e não “buginganga”)
Mendigo (e não “mendingo”)
Mortadela (e não “mortandela”)
Reivindicar (e não “reinvindicar” ou “reinvidicar”)

5- “Gostava de comida por kilo”
Kilo é uma palavra aportuguesada
O correto é: Gostava de comida por quilo. (A comida é vendida por quilo)
Outras palavras já aportuguesadas: batom, camicase, chique, clipe, clube, críquete, cupom, estande, estresse, gangue, gim, golfe, grogue, gueixa, lorde, moletom, ringue, saquê, surfe, tíquete, turfe, xampu.

6 – “Era um deputado bahiano”
Derivados de Bahia não se escrevem com h
Só existe h em Bahia, mas não nos derivados do nome do Estado.
O correto é: Era um deputado baiano.
Outros exemplos:
Mora na Bahia.
Tinha muitos parentes baianos.

Nas palavras compostas, Bahia perde o h e a inicial maiúscula: coco-da-baía, jacarandá-da-baía, laranja-da-baía. Da mesma forma, o torcedor do Corinthians é corintiano, também sem h.

7 – “A tijela estava cheia de doces”
Tigela é com g e não com j
O correto é: A tigela estava cheia de doces.
Outras palavras com g e não j:
Afugentar, bege, falange, ferrugem, herege, Hégira, proteger, rabugento, selvageria.

8 – “Comeu uma pizza de calabreza Terminação “esa” indica origem (de Calábria, Itália)
O correto é: Comeu uma pizza de calabresa.
São as terminações ês, esa e isa que indicam nacionalidade, origem, título de nobreza ou ocupação feminina:
Calabresa, francês, inglesa, japonesa, português, burguesa, camponês, cortês, baronesa, duquesa, poetisa, profetisa.

9 – “Vamos organisar a festa?” Terminação “izar” indica ação de fazer
A terminação se agrega a um adjetivo ou substantivo terminado em r,l, n ou vogal:
O correto é: Vamos organizar a festa?
Outros exemplos: Banal: banalizar
Cânon: canonizar
Cota: cotizar
Horror: horrorizar
Suave: suavizar

10 – “A moça se dava bem com o padastro A palavra deriva de padre (pai em latim)
O correto é: A moça se dava bem com o padrasto.
Evite também inverter as letras de madrasta (de mater, madre, ou seja, mãe):
A madrasta fazia a lição com o enteado.

Com informações da Universia Brasil

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*